Protestantes se infiltram em paróquias para tentar converter católicos

Nos últimos anos o número de católicos convertidos ao protestantismo vem crescendo, resultado de um pesado trabalho de evangelização protestante no país. A religião fundada por Lutero hoje corresponde a 22% da população brasileira de acordo com o IBGE.

O Brasil ainda é a maior nação católica do mundo, mas, na última década, a Igreja teve uma redução da ordem de 1,7 milhão de fieis, um encolhimento de 12,2%. Os dados são da nova etapa de divulgação do Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A tendência de redução dos católicos e de expansão das correntes evangélicas era algo esperado. Mas pela primeira vez o Censo detectou uma queda em números absolutos. Antes do levantamento de 2010, o quadro era apenas de crescimento de católicos em ritmo cada vez menor. Mantida essa tendência, em no máximo 30 anos católicos e evangélicos estarão empatados em tamanho na população. Os números mostram uma redução acentuada da Igreja Católica no país nas últimas décadas: a mudança foi lenta entre 1872 e 1970, com perda de 7,9% de participação no total da população ao longo de quase um século; e tornou-se acelerada nos últimos 20 anos, quando a retração foi de 22%.



“O impacto dessa mudança é grande para a Igreja Católica. A Rússia teve revolução e permaneceu ortodoxa. Os Estados Unidos, mesmo com a Guerra Civil, se mantiveram protestantes. Entre os países grandes, mudanças assim só ocorreram em consequência de de guerras e revoluções. No Brasil, a revolução é silenciosa”, diz José Eustáquio Diniz, demógrafo da Escola Nacional de Estatísticas.

O protestantismo investe pesadamente em publicidade e infraestrutura das igreja que com diferentes denominações, agrada um público alvo diferente, não o bastante toda estratégia de evangelização com o objetivo de converter é centrada nos católicos.

Dentre as técnicas usadas na conversão de católicos temos:

  • Convidar os católicos às igrejas protestantes para ter uma “experiência de conversão”.
  • Dar uma versão protestante à sua conversão.
  • Acusar os católicos de não ensinar a salvação pela graça.

No entanto nos últimos anos algumas denominações ultrapassaram o limite, onde alguns fieis se disfarçam de católicos, frequentam paróquias na intenção de converter os paroquianos ao protestantismo.

O objetivo é participar da comunidade, adquirir a confiança do povo e depois fingir uma suposta conversão ao protestantismo para ser usado como exemplo, em alguns casos é percebida uma leve tentativa de influência na paróquia.

Falsos testemunhos de conversão

Muitos se autodeclaram católicos, no entanto, só pisaram em uma paróquia no dia do batismo, outros estão há anos afastados da igreja e  continuam se declarando católicos, é muito comum ver um protestantes dizerem que são convertidos e em muitas das vezes se encaixarem em uma dessas características.

Em alguns casos vemos as famosas fakes news rodando na internet de falsos padres e seminaristas convertidos, o que taticamente falando, aumenta a credibilidade, um texto super bem preparando com versículos bíblicos do ponto de vista protestante e um testemunho com informações que parecem até reais, citando nomes de paróquias e dioceses, mas no entanto, as informações não existem ou não batem, como por exemplo, uma paróquia X da diocese Y sendo que nesta diocese não tem nenhuma paróquia com esse nome ou dados do suposto padre ou seminarista que também são desconhecidos pelas dioceses e paróquias citadas nos textos, em breve iremos escrever um artigo sobre este tópico.



Portanto, devemos ter cuidado com quem frequenta nossas paróquias e sempre que possível fazer uma boa catequese para a comunidade, mas é importante entender também que o principal motivo para o crescimento protestante no país é a própria igreja, quantas vezes você já rezou na casa do seu irmão? Você lembra ele de ir a missa? Você convida seus amigos para ir na sua igreja? Você dá aula de catequese na sua paróquia? Se um irmão deixa de ir a missa, você o procura saber o que está acontecendo? Esses e muitos outros motivos são os que fazem muitos abandonarem a santa igreja, inclusive, esses pontos são os mais trabalhados pelos protestantes.

Compartilhar