Porque santos católicos não são orixás

Para quem não leu as nossas políticas de privacidade avisamos com antecedência que:

Respeitamos rigorosamento o artigo 5º inciso VI da Constituição da República Federativa do Brasil e a Lei nº 9.459, de 15 de maio de 1997 que trata da liberdade religiosas e considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões.

Temos o direito de poder criticar livremente a doutrina de outras religiões pois isso é assegurado como direito a Liberdade de expressão de manifestar, livremente, opiniões, ideias e pensamentos, direito esse que está previsto no inciso IV da Constituição da República Federativa do Brasil e pela Lei nº 5.250, de 9 de maio de 1967.

Ou seja, este artigo não contém nenhum tipo de intolerância religiosa, lembre-se que intolerância é você ofender alguém por causa de sua crença!



Já escrevemos dois artigos sobre o assunto, Por que o sincretismo religioso incomoda tanto um católico? e São Cosme e São Damião não possuem nenhuma ligação com Orixás, em ambos abordamos o assunto com bons argumentos, mas infelizmente isso não é o suficiente para convencer um umbandista, isso porque o sincretismo é algo muito mais em baixo do que você pensa, vamos entender a história da coisa.

História da Umbanda

Como todo mundo sabe, o sincretismo religioso com a santa igreja é algo exclusivo da umbanda, ao contrário do que é dito por aí o candomblé não acredita em nada católico.

A umbanda surgiu em 5 de novembro de 1908 com Zélio Fernandino de Morais, que na época era um garoto de apenas 16 anos, ele sofria de uma doença paralítica muito grave, até que um dia disse que estaria curado, no dia seguinte ele levantou da cama e saiu andando, no entanto no decorrer do tempo ele apresentava um comportamento muito estranho, digamos que de manhã ele estava agindo como um índio, a tarde estava falando como um velho e a noite estava agindo como uma criança, os pais de Zélio logo o levaram para um psiquiatra, no entanto o médico fez o exames e logo afirmou que o rapaz não tinha problema algum, até que um tio deu a ideia de levar o menino até um padre exorcista, no entanto, os pais acabaram o levando para um centro espírita em Niterói – RJ, chegando ao centro espírita o responsável pelo lugar logo afirmou que ele era médium então Zélio começou a frequentar o centro, até que um dia ele incorporou uma entidade chama Caboclo das Sete Encruzilhadas no meio da sessão, o que contrariou os princípios do espiritismo. Enfim, as pessoas do centro não concordaram com aquilo, então Zélio fundou a sua própria religião, a umbanda.



A Umbanda é uma religião sincretista, ou seja, tem um pouquinho de cada religião, apesar que se os umbandistas realmente acreditassem em alguma coisa do catolicismo a umbanda logo não existiria. A religião de Zélio contradiz todas as religiões que ela afirma ser derivada, o cristianismo por afirmar que a bíblia é um livro histórico, o espiritismo com a incorporação e o candomblé ao dizer que os orixás são entidades e não deuses/forças da natureza.

Relação entre Umbanda X Igreja Católica

A umbanda é uma religião espírita e assim como o espiritismo eles acreditam em reencarnação, e é aí que mora o problema da coisa. Existem muitas explicações e histórias que falam o porquê dos umbandistas dizerem que santos católicos são orixás, a primeira delas é com relação aos escravos que eram “obrigados” a serem católicos e que através de um ato de apostasia enterravam as imagens dos orixás e colocavam uma imagem católica em cima, no entanto, as fontes bibliográficas consultada pela nossa equipe não conseguiu comprovar isso, outra explicação é com relação a “semelhança” entre orixás e santos católicos, como São Jorge e Ogum, ambos soltados guerreiros, no entanto isso não pode se aplicado a títulos de Nossa Senhora, já que existem diferente orixás sendo associados a Santa Mãe de Deus. A explicação mais simples para tal fato é a crença na reencarnação, para um Umbandista Ogum por exemplo, era um homem que viveu na terra, morreu e reencarnou como São Jorge, é por isso que existe essa associação de Santos Católicos com orixás, o que confunde a cabeça do povo e faz muitos acreditarem em boatos.

Por isso que argumentas com um umbandista é quase um loop infinito, todas as vezes que tentamos fazer um debate lógico, respeitoso e filosófico, com o máximo de argumentos teológicos possíveis, um umbandista sempre mudará de assunto e lhe acusará de preconceituoso, intolerante etc, isso porque ele não tem nenhum argumento para defender sua tese.


Contradições na associação entre santos católicos e orixás

  • Reencarnação nunca foi doutrina católica, a bíblia condena a reencarnação em Hebreus (9,27) e o CIC 1013.
  • É impossível se dizer cristão e não crer nas sagradas escrituras, logo, se a umbanda não acredita na bíblia ela não é cristã.
  • Não existe nenhuma comprovação histórica de que orixás existiram, já que sua história foi passada através da tradição oral entre os povos da Nigéria.
  • Nossa Senhora é uma pessoa só, o que as pessoas confundem são os títulos atribuídos a ela, se Nossa Senhora dos
  • Navegantes é Iansã e Nossa Senhora de Aparecida é Oxum, é impossível que uma mesma pessoa seja dois seres ao mesmo tempo.
  • Na Nigéria, lugar onde surgiu a crença nos orixás, grande parte da população não acredita mais nisso, muitos se converteram ao islã e ao protestantismo.

Portanto, não existe nenhuma  ligação, relação ou semelhança entre santos católicos e orixás.

Compartilhar