Fan pages católicas estão migrando para o MeWe, uma nova rede social concorrente do Facebook

Depois do anúncio do Facebook de diminuir o alcance de fan pages e pela grande quantidade de censuras que fan pages católicas e conservadoras vem sofrendo, muitos usuários estão migrando para a nova rede social que aos poucos está conquistando os brasileiros, o MeWe, a nova rede social promete muito.

A rede social tem como lema a liberdade de expressão sem censura, um dos fatores que os usuários do Facebook constantemente reclamam, por conta de bloqueios sem motivos causados por imparcialidade dos moderadores da rede social de Mark.



Quando chegou ao Brasil em 2016, o MeWe prometia barrar o Facebook tocando em seu ponto frágil: a privacidade. É justamente isso que está acontecendo, aliado ao baixo alcance das páginas, mais a privacidade invadida dos usuários, o MeWe está tendo um grande número de cadastros, sendo um grande candidato a realmente barrar o Facebook.

O MeWe é gratuito e tem a mesma funcionalidade do Facebook, Instagram e Whatsapp junto, o usuário tem 8 GB de espaço no servidor da empresa podendo comprar mais caso queria, de acordo com Mark Weinstein, fundador da empresa, o site não rastreia nem vende as informações dos usuários para ninguém e não converte em publicidade, diferentemente do Facebook, a empresa fica apenas com as informações de e-mail, nome, sexo e data de nascimento do usuário, enquanto sites como Google, Facebook, Twitter e Instagram rastreiam tudo que o internauta faz para mostrar propagandas com base em seus interesses, o MeWe é totalmente sem anúncios. A empresa ganha dinheiro vendendo funcionalidades a mais para os usuários, como mais espaço no servidor por exemplo.

Recentemente a fan page Sou Católico, os incomodados que se convertam sofreu vários ataques de internautas defensores de animais, depois de um post sobre a doutrina da igreja onde um católico não deve tratar seu cão como um filho, o post foi denunciado como discurso de ódio e respectivamente excluído, logo em seguida o Facebook retirou a fan page do ar, o caso se repetiu três vezes, “Chega, cansei.. o FOICEbook só pode está de brincadeira com nossa cara.. começou a PERSEGUIÇÃO, não há outra explicação cabível. Foram mais de 4 apelações que tivemos que fazer e um vai e volta em questão de horas e sem explicações aos seus usuários do por que só bloqueio. Vou cancelar é minha conta nesta rede social e partir para outra jaja.” afirma Rickson Jordan administrador e criador da fan page com 337 mil seguidores.




Publicação Facebook cancelada

Socicon

O Padre Augusto Bezerra também migrou para a nova rede social: “Estamos iniciando um backup de contatos e seguidores para a mais nova rede social e concorrente do Facebook, que chama-se MeWe. Baixe, cadastre-se e adicione o perfil “Padre Augusto Bezerra”. Estamos aguardando vocês lá. Dadas as perseguições, as ameaças de exclusão, banimentos de páginas católicas do Facebook, redução do feed de nossas mídias, começaremos a migrar para outras redes. Até que um dia possamos dizer adeus ao Foicebookistão de vez.” afirma o padre em sua fan page que atualmente tem 153 mil seguidores.

Já não é de hoje que criadores de conteúdo não estão satisfeitos com o Facebook, a empresa coloca um limite de 5 mil amigos para perfis forçando usuários a criarem fan pages. Outro problema é o alcance das publicações de Páginas que costumam ser muito baixo exatamente para fazer com que criadores de conteúdo paguem por anúncios para mais usuários visualizarem o post. Nossa fan page por exemplo, Angelus Domini, está atualmente com 40 mil curtidas mas somente 300 pessoas visualizam nossas publicações.

Nós do Angelus Domini também migramos para o MeWe, temos um grupo e um perfil onde você pode nos adicionar lá.

MeWe Angelus Domini

De acordo com Jason Hardy um dos diretores da empresa, a rede social teve dezenas de milhares de usuários brasileiros, Jason afirma que nas próximas semanas a rede social irá passar por algumas atualizações para usurários falantes de língua portuguesa.




Se a rede social é boa ou ruim isso somente o tempo vai dizer, mas no momento não fomos censurados pela equipe do MeWe e esperamos que essa rede social não seja comprada pelo Zuckerberg.

Compartilhar