Costumes protestantes que se infiltraram na igreja católica

Já foi falado neste site em vários artigos que a cultura protestante vem aos poucos se infiltrando na igreja católica, muitos não dão a devida importância para isso, mas é algo que como católicos devemos nos preocupar. Sabemos que até a década de 80 a igreja era influência cultural no Brasil, nomes de bairros, cidades, feriados e até mesmo expressões da língua portuguesa eram de origem católica, no entanto, com a onda protestante nas últimas décadas o papel cultural da religião inverteu, hoje já temos expressões idiomáticas como “tá amarrado” em nossa língua, não o bastante, toda essa cultura acabou influenciando e adentrando no meio católico. Vejamos algumas coisas que fazemos que são na verdade de origem protestante.

obs: Este artigo é apenas de caráter informativo, alguns pontos abordados não são uma crítica necessariamente. Em nenhum momento estamos criticando a RCC, apenas estamos mostrando alguns dos maus exemplos praticados por católicos independentemente de ser da Renovação Carismática ou não.

Sentimentalismo

Sentimentalismo é uma emoção superficial e débil, sem causa justificável; excesso de emoção ou sentimento como motivo de prazer. É comum em muitos grupos jovens e até mesmo algumas missas, onde no momento da oração, o ministério de música (termo vindo do protestantismo) toca canções com uma melodia que faz as pessoas chorarem isso sem falar no uso de técnicas de hipnose e autossugestão para provocar na assembleia a histeria coletiva.

Padres agindo como pastores

Alguns padres agem como pastores, alguns até optam por roupa social no lugar da batina, e não, o problema não é o calor já que a roupa social é bem mais quente que a batina. Veja o comportamento de um pastor em um culto, agora veja o comportamento de um padre (mais uma vez, não são todos os padres) na missa, repare no modo de falar, no tom de voz, alguns padres até param a homilia no meio para fazer orações improvisadas, algo muito praticado no protestantismo.

Bandas na missa

A tradição católica sempre nos deixou uma cultura belíssima com cantos gregorianos, órgão, violino e instrumentos clássicos como fundo musical para a santa missa, inclusive no protestantismo era assim até acontecer a RCP – Renovação Carismática Protestante que futuramente resultaria na RCC que conhecemos, a Renovação Carismática Católica implantou esse costume nas missas por influência do protestantismo.

Até aqui não tem nada de errado, o problema não está no fato de bandas tocarem na missa e sim no exagero cometido por essas bandas que muitas das vezes acabam transformando a santa missa em um verdadeiro show chamando até mais atenção que o padre, além disso não podemos esquecer das músicas que não são litúrgicas, sentimentalistas e no pior dos casos, protestantes, tocadas na santa missa, o que é um erro gravíssimo.

“Teologia da Prosperidade”

“Teologia da prosperidade” não seria a palavra ideal para destacar este ponto (por isso o uso das aspas) já que ela é uma doutrina religiosa cristã que defende que a bênção financeira é o desejo de Deus para os cristãos e que a fé, o discurso positivo e as doações para os ministérios cristãos irão sempre aumentar a riqueza material do fiel, o que é completamente contrário a doutrina católica, no entanto, podemos notar uma leve pitada de teologia da prosperidade quando vemos anúncios de “missa de cura e libertação”, “missa da vitória” dentre outros eventos parecidos.

Música Católica com características protestantes

Algo que se deve tirar o chapéu é para a música gospel, que possuem melodias belíssimas, cantores super bem afinados, no entanto, o conteúdo teológico da música deixa a desejar, infelizmente não iremos dar exemplos de músicas tanto protestantes quanto católicas para não termos problemas com direitos autoriais.

Infelizmente a música católica a cada dia tem cada vez menos conteúdo teológico e mais melodia sentimentalista, tem bandas que se você retirar todas as repetições da letra e todos os momentos em que o cantor para fazer uma oração ou ministrar/pregar, você verá que a música em si não tem conteúdo nenhum.

Não podemos negar que algumas coisas boas vieram do protestantismo, como a batina do padre que é uma vestimenta de origem anglicana por exemplo, pode parecer uma coisa boba hoje mas no futuro isso pode nos trazer sérios problemas, na verdade, isso já está se refletindo no hoje, já temos exemplos de católicos que literalmente odeiam a missa tradicional (rito de paulo VI original ou rito extraordinário), dizem que é sem graça etc.

Mas a principal preocupação que devemos ter e evitar, é que com o tempo a igreja se torne aquilo que Lutero sempre quis que ela fosse.

Compartilhar