Conheça os primeiros mártires brasileiros mortos por protestantes holandeses

Você provavelmente nunca ouviu esta história, isso não está nos livros do MEC e nem vai estar, até porque o objetivo do sistema é mostrar uma visão negativa da santa igreja no Brasil. Poucos sabem mas o Brasil é berço de muitos mártires que morreram por defender a fé católica em solo brasileiro e ao contrário do que muitos acham o protestantismo está muito longe de ser puro e imaculado.

Entre os anos de 1630 a 1654 o Brasil, especificamente o nordeste, foi ocupado por holandeses que em sua maioria eram protestantes calvinistas – muito radicais – que não só ocuparam nossas terras como também quiseram obrigar o nosso povo a ser calvinista, em alguns lugares do Ceará e do Sergipe por exemplo os fiéis católicos eram intimidados pelos holandeses o tempo todo, chegou ao ponto em que a santa missa foi proibida em algumas cidades.

Em Cunhaú, RN, na Capela de Nossa Senhora das Candeias houve uma chacina, no dia 16 de julho de 1645, dia de Nossa Senhora do Carmo, onde um grupo de 70 fiéis foram assassinados brutalmente por soldados e índios canibais a mando dos holandeses, o Padre André de Soveral celebrava a santa missa quando no momento da Oração Eucarística o grupo invadiu a capela, trancou todas as portas e começaram a chacina, o santo padre foi morto com uma facada bem no meio do coração, tudo isso foi comandado pelo alemão Jacob Rabbi. Existem relatos que Jacobi disse que se o padre e os fiéis renunciasse a santa igreja e se converterem ao protestantismo ele os pouparia o que não aconteceu.

Atualmente, os mártires são lembrados em duas datas, no dia 16 de julho em Canguaretama, e dia 3 de outubro em São Gonçalo do Amarante. Esta última data é lembrada a caráter estadual: pela lei Nº 8.913/2006 que declara feriado estadual a data

São lugares de romarias e peregrinações a Capela dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu em São Gonçalo do Amarante; o Santuário dos Mártires, no bairro Nossa Senhora de Nazaré em Natal, e a capela de Nossa Senhora das Candeias no antigo engenho de Cunhaú.

Os bem-aventurados mártires serão canonizados pelo Santo Padre o Papa Francisco em 15 de outubro de 2017.

Compartilhar