Como identificar um falso testemunho de conversão

O protestantismo vem investindo em publicidade e marketing nos últimos anos com o objetivo de adquirir fieis, a tática constitui-se em gastar muito dinheiro em publicidade, infraestrutura de igrejas e em estratégias de marketing, com isso o movimento evangélico cresce aos pouquinhos a cada ano. Uma dessas técnicas é o neuromarketing, ele é a mistura entre neurociência e marketing que tem como principal objetivo entender o que faz um consumidor preferir uma marca, comprar ou não um produto e até mesmo se tornar um cliente fiel.

Então com base nisso muitas denominações perceberam que quando uma pessoa de uma determinada religião se converte, a probabilidade dela convencer mais pessoas a fazerem o mesmo é maior, conhecemos isso como reação em cadeia, que nada mais é que uma sequência de reações provocadas por um elemento ou grupo de elementos que gera novas reações entre elementos possivelmente distintos.



De fato há uma grande quantidade de católicos que por falta de uma boa catequese se convertem ao protestantismo, no entanto, de toda essa porcentagem apresentada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, nem a metade era de fato católica.

A conversão de um padre católico ao protestantismo é como se ganhasse na loteria, isso porque passa muito mais credibilidade e confiança, “nossa se um padre que estudou 8 anos se converteu é porque a igreja católica é errada mesmo!”.

Com isso, começou a surgir principalmente na internet falsos testemunhos de conversão, pessoas que nunca foram católicas afirmando serem convertidas do catolicismo, com certeza você já presenciou alguém dizendo “ah! um conhecido meu era do seminário mas se converteu” ou “ah! eu já fui católico, fiz primeira comunhão” etc. Com isso, separamos aqui algumas informações que por mais que óbvias lhe ajudarão a identificar falsos testemunhos de conversão.

Não existe católico não praticante

Não existe católico não praticante

Da mesma forma que não existe umbandista não praticante, judeu não praticante, budista não praticante e protestante não praticante, não existe católico não praticante, como uma pessoa pode fazer parte de uma religião que não pratica? Muitos que se autodeclaram católicos por serem batizados quando criança afirmam serem “convertidos”, mas é meio óbvio que a pessoa não era católica logo ela nunca se converteu. Uma forma muito simples de pegar  o mentiroso no flagra é fazendo duas perguntas simples:

  • De qual paróquia você era?
  • Essa paróquia é de qual diocese?
  • Qual é o bispo dessa diocese?

A resposta da pessoa normalmente vai ser “eu era católico não praticante”, ou então ela vai tentar mentir o que vai ser difícil com essas três peguntas.

Conversão de Padres e seminaristas

Como dito antes, dizer que um padre se converteu apenas irá reforçar a confiança do povo, ora, um padre estuda mais tempo que um estudante de medicina para se formar, ele é formado em filosofia e teologia, se um padre ou seminarista se converte é porque tem alguma coisa muito errada nisso. Então para descobrir um suposto impostor basta perguntar:

  • De qual seminário?
  • Qual era a diocese?
  • Qual era sua paróquia?

Pronto, aqui já matamos de cara aquele papo de que “Ah! eu conheço um padre que se converteu”.

Fake News nas redes sociais

Fake News nas redes sociais

Normalmente textos de internet apresentam algumas falhas, ausência de dados como diocese, paróquia e etc, incoerência nas informações, dados de paróquias, seminários ou dioceses que não existem e motivo de conversão duvidosa, algo como casos de seminaristas ou padres que se converteram porque reconheceram a “idolatria católica” é algo muito óbvio que é mentira, um seminarista ter feito catequese da primeira comunhão, catequese do crisma e principalmente ter estudado todas as disciplinas do seminário e só depois percebeu que estava no lugar errado? A veneração de imagens é algo batido no primeiro ano de catequese, isso sem falar no conteúdo programático que um seminarista tem no seu tempo de seminário rebate todas as heresias protestantes.



Essa é só uma das técnicas usadas pelos protestantes para converter católicos, existem outras também que já explicamos em nosso artigo Como o protestantismo cresceu no Brasil.

Compartilhar