Beber cerveja não é pecado

Se nos séculos passados a igreja católica era uma grande influência cultural no Brasil, hoje com a grande epidemia protestante no país, a cultura puritana acaba entrando na mentalidade do brasileiro.

O puritanismo designa uma concepção da fé cristã desenvolvida na Inglaterra por uma comunidade de protestantes radicais depois da Reforma. Segundo o pensador francês Alexis de Tocqueville, em seu livro A Democracia na América, trata-se tanto de uma teoria política como de uma doutrina religiosa.

O adjetivo “puritano” pode designar tanto o membro deste grupo de calvinistas rigoristas como aquele que é rígido nos costumes, especialmente quanto ao comportamento sexual (pessoa austera, rígida e moralista).



A Revolução Puritana foi um movimento surgido na Inglaterra no século XVII, de confissão calvinista, que rejeitava tanto a Santa Igreja Católica Romana como o ritualismo e organização episcopal na Igreja Anglicana.

O puritanismo é nada mais do que considerar moralmente más coisas que são moralmente neutras e uma dessas coisas é o costume de tomar cerveja, que para grande parte das denominações protestantes é pecado. Se bebida alcoólica fosse pecado Jesus transformaria vinho em água nas bodas de Caná, e antes que você pense que o vinho que Jesus transformou da água não era o mesmo que o de hoje avisamos logo com antecedência que a fermentação existe muito antes de Cristo isso sem falar que Noé se embriagou com vinho. As evidências arqueológicas sugerem que a mais antiga produção de vinho teve lugar em vários locais da Geórgia, Irão, Turquia e China entre 8000 e 5000 a.C.. Inclusive o vinho que o padre usa na santa missa é alcoólico.

Na Idade Média, vários mosteiros fabricavam cerveja, empregando diversas ervas para aromatizá-la, como mírica, rosmarinho, louro, sálvia, gengibre e o lúpulo, este utilizado até hoje e introduzido no processo de fabricação da cerveja entre os anos 700 e 800.

A Igreja inclusive tem um rito especial para a bênção da cerveja que foi publicado no Rituale Romanum no ano de 1614 pelo Papa Paulo V, onde no capítulo VIII do livro é dedicado a bênção de coisas do dia a dia como comidas, bebidas e temperos e no meio dessa lista temos a bênção da cerveja, veja a oração:

Latim:

Benedic, Domine, creaturam istam cerevisiae, quam ex opum ad producendum dignatus frumenti tui, ut sit remedium salutare humano generi: Et dona per invocationem sancti tui nominis, qui accipit illud bibam illum [ex vobis] ad salutem corporis et animæ tutelam percipiant.

Português:

Abençoai, Senhor, esta criatura, a cerveja, que da riqueza do grão vos dignastes produzir, para que seja remédio salutar ao gênero humano; concedei ainda, pela invocação do vosso santo Nome, que quem quer que dela beba receba [de Vós] a saúde do corpo e a tutela da alma.




Tanto a bíblia quanto a igreja condena apenas o mal uso das coisas neutras, como por exemplo, você se embriagar. Tomar uma cerveja é matéria de pecado se isso for feito com a intenção de se desinibir para “pegar todas” na noite, mas pode ser algo sadio e virtuoso tomar uma cerveja conversando com os amigos. Um católico pode tomar bebida alcoólica tranquilamente sem peso na consciência, a não ser que esse seja seu jejum na quaresma!

Biografia

Pattinson, Ron. «Volume of World Beer Production». European Beer Guide (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2012

Compartilhar