Anjos: são bebês bonitos ou guerreiros ferozes?

Várias representações de anjos destacam atributos diferentes desses ajudantes celestiais.

Os anjos não são fáceis de descrever na arte, pois são criaturas puramente espirituais. Eles não possuem um corpo físico, embora às vezes eles assumam a aparência de um ser humano.



Na Bíblia, os anjos geralmente são descritos com um corpo visível, mas isso é apenas uma fachada, uma máscara que eles colocam para que possamos vê-los com nossos olhos. Caso contrário, são criaturas naturalmente invisíveis para nossos olhos humanos.

Consequentemente, os artistas podem representar os anjos de várias maneiras, e muitas vezes escolhem uma aparência que irá destacar um atributo espiritual que os anjos possuem. Por exemplo, no século IV, os anjos foram pintados ou esculpidos com asas, com foco no seu caráter missionário.

Durante o Renascimento, os artistas começaram a pintar anjos como crianças com asas. Estes são chamados de putti em italiano e são um remanescente da arte clássica, uma característica da mitologia grega e romana antiga. Eles estavam intimamente associados com o deus Eros (Cupido), mas assumiram um novo significado com o cristianismo.

Os artistas decidiram usar esses putti para representar criaturas angélicas, tipicamente no fundo de pinturas e esculturas. O significado espiritual de suas características criativas era destacar a inocência dos anjos. Os anjos foram criados por Deus com um intelecto superior à inteligência humana e ao livre arbítrio. Aqueles que escolheram ficar nos tribunais do céu fizeram isso de forma definitiva e permanecem puros em todas as coisas. Esta pureza foi traduzida para a arte através do uso de belos filhos gordurosos.

Os anjos também foram retratados como guerreiros ferozes com espadas e escudos, prontos para lutar. Isto foi especialmente verdadeiro para São Miguel Arcanjo, que geralmente é representado como um guerreiro que causa um golpe mortal em Satanás.

Os anjos guerreiros são muito comuns nas Escrituras. Josué conhece tal anjo enquanto acampava fora de Jericó.

“Josué encontrava-se nas proximidades de Jericó. Levantando os olhos, viu diante de si um homem de pé, com uma espada desembainhada na mão. Josué foi contra ele: És dos nossos, disse ele, ou dos nossos inimigos? 14.Ele respondeu: Não; venho como chefe do exército do Senhor.”(Josué 5, 13-14)

Essa representação visual destaca a realidade de que os anjos têm o poder de derrotar inimigos espirituais, como demônios. Os anjos são poderosos guerreiros espirituais e, enquanto suas batalhas são em grande parte invisíveis, os efeitos de sua proteção podem ser sentidos.



No entanto, quando um anjo é retratado, o artista está se concentrando em um aspecto particular de sua natureza. Embora pequenos bebês bonitos parecem ser o oposto de guerreiros ferozes, ambas as representações refletem uma verdade sobre os anjos.